DOIS ENSAIOS SOBRE O FUTURO DA LITERATURA


1. Ensaio pessimista sobre o futuro da literatura

Chegou a casa, cansado, e apeteceu-lhe ler um conto, divertido mas profundo, que não ultrapassasse as sete páginas. Sentou-se em frente à máquina de escrever, decidido, e escreveu rapidamente, conto divertido profundo inferior sete páginas. Depois ficou à espera que a máquina acabasse o seu trabalho. Demorou pouco mais de cinco minutos.


2. Ensaio optimista sobre o futuro da literatura

Chegou a casa, cansado, e apeteceu-lhe ler um conto, divertido mas profundo, que não ultrapassasse as sete páginas. Sentou-se em frente à máquina de escrever, decidido, e escreveu rapidamente, conto divertido profundo inferior sete páginas. Depois ficou à espera que a máquina acabasse o seu trabalho. Demorou exactamente cinco minutos.

10 comentários:

DRACULEA Café Bar - The Devil's Den disse...

Andávamos nós pela blogosfera e... ora vejam o texto neste link, se fazem o favor (fala de vós): http://sulscrito.blogsome.com/2008/03/31/entao-mudem-a-marca/

Um crédito vos damos desde já: o de terem atiçado as (blogos)feras...

Não sendo nós partidários de nenhum dos vossos "círculos" (devoção só temos ao Benfica, nos bons e nos maus momentos, como num casamento), dizemos-vos já isto: força no vosso projecto que parece já andar a incomodar algumas consciências...

DRACULEA Café Bar - The Devil's Den disse...

http://sulscrito.blogsome.com/2008/03/31/entao-mudem-a-marca/

DRACULEA Café Bar - The Devil's Den disse...

Bem, parece que não dá para pôr o endereço todo, é só acrescentar a/ ao que lá está.

Anónimo disse...

Já tinhamos visto. Não nos designamos como circulo, qualquer que seja, literário ou não, do Algarve, ou de outro qualquer lugar, como se pode ver no aqui no blog (ver apresentação à direita). E escusado será dizer que temos um projecto e uma filosofia própria. Dito isto, porque não passam por lá?

Pedro Afonso disse...

É evidente que têm um projecto e uma ideologia própria,
como não poderia deixar de ser.

O texto do blog do Sulscrito que é referido nos
comentários e para o qual disponibilizam o link é uma
reacção natural a uma divulgação vossa feita acerca do
Texto-al no blog "A Defesa de Faro"
(http://adefesadefaro.blogspot.com/2008/03/partir-de-hoje-
em-faro-5-mundial-de.html). Se lerem o texto no Sulscrito perceberão
facilmente que se trata de uma crítca, muito bem escrita,
à falta de originalidade que seria essa designação.

A criação ou o aparecimento do Texto-al não creio que
incomode nenhumas consciências, muito menos as de quem faz
parte do Sulscrito. Pelo contrário: achamos positivo e
saudável que apareçam grupos de pessoas activas e que se
enriqueça a vida cultural da cidade ou de qualquer outro
sítio.

A existência de grupos diferentes, com perspectivas
distintas e até concorrentes acerca da literatura sempre
foi bom, aguça o pensamento, cria acção e dinamismo.
Achamos, até, ser necessário que isso aconteça, foi para
isso que abrimos caminho, é para isso que trabalhamos:
para que a literatura se torne parte da vida cultural da
cidade, da região, do país e do mundo.

O Sulscrito é um projecto internacional, mas do qual os
seus membros mais activos residem no Algarve. Logo, como
activos que somos, não poderiamos deixar de estar atentos
ao que por cá se passa, não poderiamos deixar de intervir
naquilo que consideramos ser o que nos interessa: a
literatura como forma viva e activa de pensamento e de
intervenção. A opinião e a discussão são imprescindíveis
veículos de cultura e não deixaremos de exercê-los.

Participaremos sempre, da forma que temos vindo a fazer (a
revista, o encontro internacional de escritores, a
colecção bilingue de livros, o prémio internacional, as
apresentações de livros, sessões de leitura, encontros,
etc.) e de outras formas que surgirão por serem
necessárias ou, apenas, por termos vontade de isso.

Evidentemente que haverá membros do Sulscrito a aparecer
nas vossas tertúlias. Esperemos que haja polémicas,
confrontos, discussões, pois foi sempre isso que pôs a
literatura e os autores na vida pública das comunidades.
Isto porque, como é fácil de perceber (se se lerem os
textos de uns e de outros), temos ideias bastante
diferentes acerca da literatura e verificar-se isso será
de um valor imenso para a mesma.

Bom trabalho, portanto, e, com certeza, passaremos por
"lá".

Pedro Afonso

DRACULEA Café Bar - The Devil's Den disse...

Assim sim, é bem mais "bonito": polémico mas com respeito... respeito que, com todo o respeito, nos pareceu faltar no post do Sulscrito...

Saudações a ambos os círculos!

Pedro Afonso disse...

respeito é algo a que o texto do blog do sulscrito nunca faltou. Outra coisa é implacabilidade, apuro e não cedência. Quando a crítica é boa é assim, não se trata de diplomacia tolerante. Isto é algo mais difícil de aceitar do que o respeito, bem sei, mas que está aí.

Anónimo disse...

passei pelo blog do sulcrito. aquele post é feio. pq n falar com as pessoas antes e resolver o mal-entendido? para quê lavar roupa suja em publico?

qt a nivel

sulscrito 0
texto-al 1


Principe

DRACULEA Café Bar - The Devil's Den disse...

1- Por uma coisa já ficámos satisfeitos: por termos ajudado, modéstia à parte, a subir o nível e o entendimento da relação entre dois grupos aos quais nem estamos ligados. Julgo que esta questão, resolvida que foi no espaço de 24 h, ajudou a esclarecer as relações entre todos os que pugnam pela elevação artística de Faro, do Algarve e do país.

2- E porque ainda ninguém fez comentário ao que realmente interessa, fazemos nós: texto interessante o deste post (Dois Ensaios Sobre o Futuro da Literatura)!

Anónimo disse...

A questão é apenas uma:
Nunca o Texto-al se designou por círculo, designaram-no, erradamente. Logo, toda a argumentação "bem escrita" é uma falácia tonta e, sobretudo, mostrou incómodo.
Para que conste: o textual é um grupo informal de pessoas que gostam de literatura...afastado do geometrismo e da polémica.

eu