Instante, um poema de Samuel Beckett



















Instante

.

Que faria eu sem este mundo sem rosto sem questões

Quando o ser só dura um instante onde cada instante

Se deita sobre o vazio dentro do esquecimento de ter sido

Sem esta onda onde por fim

Corpo e sombra juntos se dissipam

Que faria eu sem este silêncio abismo de murmúrios

Arquejando furiosos em direcção ao socorro em direcção ao amor

Sem este céu que se eleva

Sobre o pó dos seus lastros

Que faria eu eu faria como ontem como hoje

Olhando para a minha janela vendo se não serei o único

A errar e a mudar distante de toda a vida

preso num espaço-marioneta

Sem voz entre as vozes

Que se fecham comigo.

.

Samuel Beckett

(tradução de Tiago Nené)



2 comentários:

candida disse...

que rosto fantástico de inteligente.
chuacs e picadelas de melga !

LM,paris disse...

Olà texto-Al,
merci de votre message...lindos poemas os seus e gostei de ler este do nosso Samuel...bird-eye hop in the sky-world.
Um abraço textual de Paris, cidade envolvente e belo envolvimento cultural,
ainda ...até quando???
LM
lidia