Poema de aquecimento para uma longa noite de prosa - um poema de Sylvia Beirute

















POEMA DE AQUECIMENTO PARA UMA LONGA NOITE DE PROSA

abraças-me e há naquele abraço o alívio de vinte anos sem saber sorrir
isa mestre

{a primeira hipótese é entre duas pessoas, tu e eu, haver um intervalo, e ser esse intervalo a única coisa que nos define, crescerem estradas que não começam, despir-se o tímpano de igualdades, ter-se perdido o efeito inverso do cansaço, sermos nós sem uma raiz.}
{a outra hipótese é instaurarem-me um processo poético, tablado de improvisos, irmos a vénus num ovni, por ser a minha consensualidade um rebanho de qualidades, e na tua perspectiva de poeta ser o céu uma folha de papel branca, a claridade esconder a escuridão, e estabelecer-se uma insaciabilidade do impossível.}


inédito

1 comentário:

isabel victor disse...

"insaciabilidade do impossível"


belíssimo ...



1Bj

iv