Um poema de Sylvia Beirute - Conoscenza
























CONOSCENZA

{o teu reconhecimento é a tua dependência},
não o deixes passar da fase da costura.
surge. insurge. inespera.
adquire expressões através do
eco difuso dos vegetais, coloca-te
nas ranhuras da madeira.
há uma vida imprópria algures.
pode não ser como aquela que espera
na plumagem de uma memória
por antecipação, mas protege o silêncio
e não deixa coagular o sangue.
{o teu reconhecimento é a tua dependência},
e quanto mais o memorizares
mais afastado estarás
dos lados obtusos de quem te deseja habitar
e da semântica temporal
das pessoas que te pedirão um
poema bonito,
e nada pior do que escrever
um poema bonito.

inédito


Também postado [aqui]

3 comentários:

Ana Paula Sena disse...

Gostei muito. Mesmo.

Abraços :)

António Gallobar disse...

Excelente poema, muitos parabens
Adorei

isabel victor disse...

"{o teu reconhecimento é a tua dependência},
não o deixes passar da fase da costura.
surge. insurge. inespera."



_____________________ P.O.E.T.A


com todas as letras





saio
com uma vénia









em cerimonioso silêncio






iv