poema que não escrevi, seguido de poema que escrevi e reescrevi vezes sem conta


[...]

[...]

[...]

3 comentários:

van disse...

Tem piada, ontem escrevi uma coisa assim, mas depois apaguei tudo e fiquei sem o texto.

bruno cunha disse...

viva!
obrigado por teres passado no meu blog...
prometo estar atento ao teu...
já agora, se tu e o teu grupo de literatura gostam de poemas visuais, há mts no meu blog.
;)

Vieira Calado disse...

Olá!
Bom dia Algarve e a sua literatura!
Dei uma volta completa pelo blog e achei muito interessante.
Vai certamente cumprir a sua missão.
Como sabem, tenho vários blogs, um de poesia. Aí tenho exposto o meu trabalho, quer poemas já publicados em livros, quer inéditos.
É evidente que gostava de participar. Mas a minha participação presencial, às Terças-Feiras, é quase impossível. Não conduzo de noite e não há transporte de regresso para o Barlavento.
No entanto, se assim julgarem útil, poderei enviar poemas.
Longa vida ao Texto-Al, que desde já vou adicionar aos meus favoritos.
Visitá-lo-ei regularmente.
Um abraço