à minha bela inimiga

não sejas vaidosa, meu amor
porque, para te ser franco,
a tua beleza não é de outro mundo
nem tampouco deste.

Oscar Hahn,
com tradução de Tiago Nené

1 comentário:

van disse...

LOL muito bom! muito bom! :D