Maria do Sameiro Barroso vence Prémio Palavra Ibérica 2009

Maria do Sameiro Barroso é a grande vencedora do Prémio Internacional Palavra Ibérica 2009 com a obra Uma Ânfora no Horizonte. O júri, constituído por Casimiro de Brito, Fernando J.B. Martinho e Manuel Frias Martins, aconselhou ainda a publicação da obra Labirintos Cruciais, de Paulo Renato Cardoso.

Conhecendo a autora como conhecemos, consideramos este prémio muito bem entregue. Eis um poema de Maria do Sameiro Barroso:



Assim trabalharei a mão, o linho, o cristal paralelo,
os violinos de Dvorák.
Pelos gumes da linguagem, um tecido frágil do lado
da pobreza
dizendo o caminho nómada, a candeia de cinza.

Algures, um coração ardente, um homem que escreve,
um rosto imóvel, apesar,
no silêncio abnegado, denso e radical.

E mergulho nesse dizer aparente, amplo e subjectivo,
erguendo lírios, teias rarefeitas,
loucos interstícios, pelo magma luminoso,
onde o ouro inacessível se propaga,
pelos pórticos de melancolia,

o tempo desconexo percorrendo o caminho das esfinges,
a terra febril,
dizendo as aves, o orvalho e as feridas inteiras,
como violinos,
na extensão dos seus arcos, das suas células secretas,
erguendo o cristal prospectivo,
a chuva, o turbilhão,
caminhos de mel, meteoros de água.


Poema Os violinos de Dvorák, do livro inédito Idades Sonâmbulas


Update: outros poemas da autora [aqui]


[tn]

5 comentários:

Anónimo disse...

n sei bem porquÊ mas faz lembrar herberto hélder

Eduardo Serra Lopes disse...

talvez pelo verso curto e longo na mesma estrofe.


um abraço, "anónimo".

Carla Silva e Cunha disse...

gostei muito...

http://www.arte-e-ponto.blogspot.com

Anónimo disse...

Escervi o texto, pensando em Herberto Helder.
Agradeço muito ao Texto-Al a divulgação do prémio e o gosto pela minha poesia.
Um abraço poético
Maria do Sameiro Barroso

Anónimo disse...

Logo vi! saudações farenses e bom trabalho xD