Um poema de Tiago Nené - 03032007



















03032007

no livro que me foi emprestado -
uma edição de poesia de novalis -
vinha uma nota
muito ténue a lápis tremendo. dizia
procuro o último livro de
ruy duarte
[de] carvalho - de que nunca li coisa alguma -
e encontro
este, que procurei
há dias
sem encontrar.
vinha datado
e escrito assim: 03032007.
não vinha assinado, nem a caligrafia
pertence a quem mo emprestou.
e estes factos, lentamente suspensos
na superfície móvel da memória mais imediata,
impuseram
no mapa sem rios da minha leitura
um sentido extremo de ficção real.

Tiago Nené
in Polishop
(em preparação)

imagem de Lunatik

10 comentários:

Fa menor disse...

A curiosidade mandou-me passar aqui...

Josy disse...

Que curiosidade mais teimosa... rs
Linda imagem.

Gotei daqui.

R.L. disse...

Tiago Nené da antologia "Os dias do amor"? *

Vasco disse...

É nesses pequenos olhares que se revelam os significados... Gostei muito. Abraço!

Texto-Al disse...

obg aos restantes comements.

R.L: sim.

T.

Roman disse...

fantasticas imagens à volta daleitura.

adorei o final mais poético:

"e estes factos, lentamente suspensos
na superfície móvel da memória mais imediata,
impuseram
no mapa sem rios da minha leitura
um sentido extremo de ficção real."

R.L. disse...

sim, parece que sim :) eu pelo menos sou a mais nova, fecho o livro.
:)*
R.L.

Texto-Al disse...

eu era para ser o mais novo:P

T.

Adriana Godoy disse...

Adorei!Essas "coisas" me fazem a cabeça. Beijo.

Renata de Aragão Lopes disse...

Delícia de situação, essa narrada no poema.
Mais um seu, Tiago, que elogio.
Parabéns!