Um poema de Adriano Narciso



Mães navegantes em luas filiais
são terras, planetas,
orações subordinadas a luas enfermas.

Progenitoras expectantes
pelo eclipse lunar.
Lobas abruptas sem força,
sem luz (sem cio)
lunáticas
alunares

Mães sem etimologia
são mulheres sem género,
são homens, crianças,
sem género,
sem número, sem filhos.

Adriano Narciso

4 comentários:

Texto-Al disse...

agora sim;)

T.

Adrian Dorado disse...

Fuerte, concreto, duro, real y poético.
Felicitaciones

willa Albuquerque disse...

E ainda tem gente que nem olha para
essas verdades!
:/

Beijos!

Carla disse...

mães...e tanto que diz esta palavra
obrigada pela visita que me permitiu conhecer este belo espaço
voltarei, se me permitem