O Estrangulador de Bonecos de Neve - o novo livro de Carlos Vaz



















O cuidado, essa derivação não científica de outras categorias como a de rigor, parece-me ser uma das vertentes fundamentais da escrita de Carlos Vaz; tipo de depuração que nem sempre se nos apresenta do mesmo modo: rondando a musicalidade onde a estrutura narrativa é secundarizada ante o fulgor do dito, como em Gabriela Llansol, em “Capricho 43”; o burilar da linguagem que, sem perder uma certa poeticidade, opta agora por uma mensagem directa bem ao jeito de escritores como Mário Henrique Leiria, em “O Estrangulador dos Bonecos de Neve”.


Este cuidado, ou melhor, este medir forças com a palavra recusando todo o tipo de estatismo sintáctico – que também pode ser encontrado na poesia de Carlos Vaz – faz-nos ver a escrita deste autor como um organismo que incessantemente se reformula e (re)enuncia nessa procura que a si própria se impõe: a de um persuasivo resplendor que, armadilhando o leitor num jogo de encantamento e sentidos vários, nunca cede na construção de novos paradigmas do dizer, que, contudo, jamais se afastam do real concreto nem de múltiplas inquietações de cariz existencial e histórico-social.

Victor Oliveira Mateus


A sua escrita desperta-nos do sono amotinado onde a raiz do sonho se liberta, na sua mansão de sendas puras e se revela em indómitos fulgores, depurados dos escolhos do banal e do supérfluo.


Os monstros do silêncio e da vigília pontuam os seus textos. As suas fronteiras abertas, fundadas na matriz ontológica que a sua marca transporta, fixam a matéria do mundo, no seio da verdade e do lume, velada pela clarividência fluida dos afectos.

Maria do Sameiro Barroso


Carlos Vaz ata os seus próprios nós no fio que escolhe, dialoga com as “cabeças” convocadas para a sua viagem textual, longe e perto do mundo, unindo razão e sonho, “arquitectando ilhas” com pontes de sentido entre si. A busca é textual, mas o mundo fica enriquecido.


Maria Teresa Dias Furtado

O Estrangulador de Bonecos de Neve
Editora: Labirinto
Blogue do autor: Textualino

[tn]

1 comentário:

Censurada disse...

Destingui este blog o "selo Dorado", prémio que representa a união entre “ bloguistas “com ele destingui os blogues do meu agrado.
ACEITA-O

Aparece...