Correspondência - um poema de Sylvia Beirute

















CORRESPONDÊNCIA

{aos poetas contemporâneos do algarve}

para dizer {intemporal} digo {o infinito do tempo} ,
para dizer que {existe espaço} digo {vazio} ,
para dizer {passado} digo {o esqueleto do presente} ou
uso a sinédoque, estranhamente
mais exacta e rigorosa, {os seus ossos frágeis} ,
para dizer {cegueira} digo {a mera visão interior
com passos de tigre ao escuro} ,
para dizer {sacar verdades} digo {emitir um
certificado de existência poética}
para dizer que {sou} digo que {estou, ou estou por vezes},
para sentir {o anonimato contemporâneo dos outros poetas
que no jardim da alagoa passeiam os cães e fingem
não me ver} faço {assim com os ombros}.
para permanecer preciso de {usar as mãos}
e {estender todo o corpo nos lábios, ou entre sinónimos
e correspondências}.

inédito

3 comentários:

Thiago Gonzaga disse...

Belo.

. intemporal . disse...

. inédito e ampla.mente assertivo .

. sinónimos de um tempo mayor .


. um bom fim de semana .




. paulo .

lupussignatus disse...

ao

raio

x



[para
dizer:
irradia
originalidade]