[auto-suficiente]

Quando falamos pouco dizemos quase sempre o suficiente.
Mas o suficiente nunca basta.
O suficiente nunca é suficiente. é sempre pouco.

Desviamos o olhar.
perdemo-nos de medo.
desejamos que as nossas vozes não voltem a encontrar-se no ar.

E num instante,
lá estamos nós outra vez,
a gastar palavras.

Há tempo que não me sorris.
Queria saber porquê, mas não pergunto.
As palavras nunca são suficientes.

As palavras ou são pouco ou sabem a pouco.

Isa Mestre

2 comentários:

Papagaio Mudo disse...

Alto o suficiente, Isa.

parabéns,

Gustavo

...Sú... disse...

As palavras se perdem ao vento, com o tempo...

Até mais!!!