A Hora Implícita - um poema de Tiago Nené















A HORA IMPLÍCITA


a uma pessoa que vive na direcção da sua vontade, em horas implícitas

todos os acasos são subterfúgios, por exemplo
este silêncio é mais lento que
a cabeça que o absorve, fendendo em mim uma página em branco.
[e chove] foi preciso
transformar-me em chuva para que as minhas lágrimas
adquirissem a velocidade que condissesse
com a condição antológica do meu estado.
[e dá-se uma transfusão de estações do ano por detrás
do branco da página]
- um ajuste de contas é circundante,
um abraço cheio comove os nervos dos braços vazios,
através de mim passa o meu corpo, eu vejo-o,
a carne é um gueto escuro, a sua sombra um centro falso
sem gravidade,
o equilíbrio deu à luz o intervalo
que desliga a luz das palavras íntimas - espalho-me por cada
sua raiz que me trouxe até aqui.
[e começo de novo, e alimento-me de mim mesmo]
ainda confundo poesia com amor
e um amor nato e frio com um sorriso radioactivo e dolente
[só os ecos das palavras absolvem]
e um sorriso radioactivo e dolente com a certeza absoluta
e magnífica das coisas que dançam com submarinos no sangue
[a morte ainda nos espera longe:
dará uma vida poeticamente configurada uma morte lírica?]
e no meio de tudo, [retomo], desse silêncio mais lento que o coração que o absorve,
a ideia de que um homem inteligente
jamais colocaria as coisas do seu ponto de vista.
[e limpamo-nos um no outro]
e regressamos na ficção da boleia do pensamento
certeiro de alguém que passa no momento em que nos ocorre
que seria suficiente fazer uso do potencial pandémico deste amor
para acabar com tudo e impedir o regresso e o progresso.
[e a nossa lembrança conjunta, no tempo justo e diurno,
é a única que ainda cresce no jardim da memória.
e a chuva cessa, o sol espreguiça, são seis em ponto,
o frio de palavras inaudíveis
escuta por entre a respiração ofegante de um corpo
que rasteja devagar até mim]

Tiago Nené

in
Cartel

(a publicar um dia)

4 comentários:

corpo visível disse...

.
gostei desta hora implícita como um contacto cardíaco.
.

Ju disse...

passa verso a verso
o ponteiro dos segundos

belo esguio certeiro
na direcção do tempo

Ana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
China disse...

estilo muito próprio.