Poemáti



Punctuns fora dos limites da película;
Antologias fugazes de mim. São
Terras azuis, flores plantadas no crepúsculo:
Retina prisioneira de ti. A
Inteligência é ignóbil, acessória no
centro da cena, sem pano, sem guião. Só corpos
Incendiados
Audazes. Actuando.

Aspergido o ar
Morre o espaço envolvente;
O espaço confinado a um corpo (sucedâneo do meu)
-
Tempo, a
envolver-nos.

Adriano Narciso

2 comentários:

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

A glória da amizade não é a mão estendida,
nem o sorriso carinhoso,
nem mesmo a delícia da companhia.
É a inspiração espiritual que vem quando você
descobre que alguém acredita e confia em você.

(Ralph Waldo Emerson)

Visite meu novo blogger
UMA ILHA PARA AMAR
http://eduardopoisl.blogspot.com/

Um grante abraço do amigo Eduardo Poisl

Texto-Al disse...

gostei mt deste, adriano.

tem as palavras exactas numa forma muito bem conseguida.

um poema sobre uma espécie de ficção real.

T.