Teoria do Fim - um poema de Tiago Nené




















TEORIA DO FIM


[a Graciela Perosio]


não sabemos o caminho de regresso / ao nosso começo.
talvez nos tenhamos perdido / no infinito caótico da criação,
o infinito no rosto que muda / noutro infinito que fica
no sorriso que intui. / tirámos todo o silêncio / das
entranhas da terra para saber que a nossa estadia mútua /
é uma marioneta nos reflexos de um e de outro, /sendo que
aqueles, os reflexos, estão condicionados pelos espíritos, signos,
ou pela maneira peculiar e inata / de se comer uma laranja azul
[mas isto, claro, é uma mera suposição].
não sabemos o caminho de regresso ao nosso começo, /
é esta a questão. / talvez porque não seja o mesmo, o caminho, /
talvez porque este não esteja exactamente no mesmo lugar
e se tenha transformado num verso [num verso em linha recta],
talvez porque o começo esteja noutro lugar ou tenha havido dois
que se cruzaram, enlearam e perturbaram,
ou talvez porque o fim tenha simplesmente mudado de lugar.
[e tudo isto, claro, são meras suposições]

Tiago Nené
in
Teorias para um Mundo Melhor

(edição de autor, para amigos ou para quem prove que tem um interesse legítimo na aquisição da obra)

4 comentários:

Paulo R. disse...

profundo.

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Se cada dia cai, dentro de cada noite,
há um poço
onde a claridade está presa.
há que sentar-se na beira
do poço da sombra
e pescar luz caída
com paciência.

Pablo Neruda

Desejo um belo domingo e uma linda semana.
Abraços

Teresa Queiroz disse...

enlearam .. e perturbaram-me

alice disse...

eu gostava muito de ter um :) bj*