Página em Branco - um poema de Sylvia Beirute




















PÁGINA EM BRANCO
{poema-resposta a um autor bloqueado}

saber existir uma página em branco,
e que a mesma já contém poesia,
é absolutamente necessário para se escrever
um poema.

escrever pode ser pura abstenção,
e o ponto supremo de se escrever bem pode ser,
e segundo a minha viciada experiência,
uma abstenção parcial.

{mas cuidado,
muito cuidado com as formigas que passam sobre a folha.}

inédito

3 comentários:

Cida disse...

Sylvia.

Feliz a encontro,tão plena de poucas palavras, que tantas vezes, teimo em reler, revisar e esconder."Faço versos como quem morre", assim dizia Manoel Bandeira.

Meu texto "Página em branco", coincidente, não beira ao perfeito, beira o sentimento. Estará em meu blog.

cidaneuenschwander@blogspot.com
Abraço para você.

Cida.

bonecadetrapos disse...

O poeta busca o branco de uma página. temerário seja perante a possibilidade de trair a raiz do verbo.

____volto sempre a este espaço. aqui a palavra é. a poesia acontece.

Saudações com estima
*__bonecadetrapos__*

apedroribeiro disse...

bom.